Infertilidade

O ser humano tem uma fertilidade baixa em relação a outras espécies. A possibilidade está em 20% por ciclo de ocorrer uma gravidez. Em 12 meses a taxa de gravidez acumulada é de 93% e em 2 anos de 97%.

As causas de infertilidade se dividem igualmente entre os homens e as mulheres e 50% dos casais inférteis têm fatores que se somam entre os dois. Cerca de 15% dos casais inférteis não apresentam diagnóstico definido.

Estéril é o casal que não consegue engravidar ao cabo de 12 meses de tentativas, e, infértil é o casal que consegue engravidar, porém sem que a gravidez chegue a ter sucesso, com bebê em casa.

A mulher, como todos já sabem tem a sua fertilidade diminuída com o passar da idade principalmente acima dos 35 anos, não somente pela reserva ovariana, que é consumida com o tempo, como também pela qualidade dos óvulos.

Das causas de esterilidade feminina a mais freqüente é a ovulatória (falta de ovulação, comum em mulheres com ovários policísticos) cerca de 29%, seguida do fator tubário (obstrução das trompas), 16%, do fator uterino (miomas, septos, sinéquias, pólipos uterinos), 5% e da endometriose, 7%.

No homem as principais causas de infertilidade são: a varicocele (varizes na bolsa escrotal), a infecção, a disfunção ejaculatória, o fator hormonal, o fator imunológico (que dependem da associação de fatores como por exemplo a resistência do muco do colo do útero ao espermatozóide), e a azoospermia, que é a ausência do espematozóide na ejaculação, e que pode ser obstrutiva, ou por um problema de malformação genética dos canais ejaculatórios, ou por um problema infeccioso que tenha obstruído tais canais e azoospermia secretora por alteração hormonal.

confianca