Quando a FIV não dá certo. O que fazer?

A falha na implantação embrionário se define quando não ocorre gravidez após 3 tranferências de embriões de boa qualidade em cada uma delas. Nas mulheres acima de 35 anos se considera falha de implantação a partir de 2 transferências.

As principais causas são:

1 – Enfermidades Orgânicas:

Endometriose: estudar tratamento cirúrgico ou medicamentoso;
Hidrossalpinge: salpingectomia;
Miomas: Momectomia;
Pólipos: Polipectomia por Histeroscopia;
Endometriose;
Disfunção Endometrial: Criopreservação dos embriões.
2 – Seleção Embrionária:

O PGD (Diagnóstico Genético Pré-Implantacional) realizado no terceiro dia da fertilização e o CGH (Comparative Genomic Hibridization) realizado no quinto dia da fertilização são exames genéticos do embrião que visam escolher os embriões de melhor qualidade antes da transferência.

3 – Distúrbios Endócrinos:

Obesidade: Corrigir a obesidade procurando enquadrar a paciente no índice de massa corpórea normal.
Endocrinopatias: Ver outras doenças metabólicas que estejam influindo na reprodução como as doenças de tireóide.
4 – Pesquisa de Trombofilias